Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/missaourbana.org/public/wp-content/plugins/pa-plugin-utilities/classes/controllers/IASD_Menu.class.php on line 75
    Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/missaourbana.org/public/wp-content/plugins/pa-plugin-utilities/classes/controllers/IASD_Menu.class.php on line 40 Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/missaourbana.org/public/wp-content/plugins/pa-plugin-utilities/classes/controllers/IASD_Menu.class.php on line 75

Missão Urbana

União Central Brasileira

O Ministério da Recepção

Condensado de “The Greeter’s Manual” de Leslie Parrott por Emilio Abdala

A – Precedente bíblico:

1 – Correspondem aos antigos porteiros do templo do Senhor:

Sl 84:1,10 “Quão amáveis são os teus tabernáculos, Senhor dos Exércitos!… Pois um dia nos teusátrios vale mais que mil; prefiro estar à porta da casa do meu Deus, a permanecer nas tendas da prevercidade.

2 – Salum se orgulhava de pertencer a uma família que por 4 gerações serviram como “Porteiros” por templo:

I Cr 9:19 “Salum, filho de Coré, filhos de Ebiasafe, filho de Corá, e seus irmãos  da casa de seu pai, os coreítas, estavam encarregados da obra do ministério e eram guardas das portas do tabernáculo; e seus pais tinham sido encarregados do arraial do Senhor e eram guardas da entrada.

3 – Dos lares da igreja do Novo Testamento às catacumbas de Roma, podemos imaginar pessoas calorosas dando boas vindas aos que chegavam.

4 – Nesse ministério, a ante-sala da igreja é sua capela, a mesa de informações o seu púlpito, e a área em torno da igreja a sua paróquia. Conselho de Paulo aos recepcionistas: Cl 3:23,24. “Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como para o Senhor e não para homens, cientes de que recebereis do Senhor a recompensa da herança. A Cristo, o Senhor, é que estais servindo

B – Princípios Importantes aos Recepcionistas

1 – Aceitar um ao outro: Rm 15:7 “Portanto, acolhei-vos uns aos outros, como também Cristo nos acolheu para a glória de Deus.”

Este é um ministério de aceitação mútua. Baseia-se no ensino de Cristo de amor incondicional, livre de preconceitos de cor, raça e posição social. Tiago 2: 1-4 “Meus irmãos, não tenhais a fé em nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor da glória, em acepção de pessoas. Se, portanto, entrar na sinagoga algum homem com anéis de ouro nos dedos, em trajos de luxo, e entrar tambem algum pobre andrajoso, e tratardes com deferência o que tem os trajos de luxo e lhe disseres: Tu, assenta-te aqui em lugar de honra; e disserdes ao pobre: Tu, fica ali em pé ou assenta-te aqui abaixo do estrado dos meus pés, não fizerdes distinção entre vós mesmos e não vos tornastes juízes tomados de perversos pensamentos?”

A saudação verbal e o aperto de mão são as maneiras de expressar aceitação: “Você é importante para mim” estou feliz em vê-lo aqui. Quero  que se sinta bem-vindo” O pastor recepciona do púlpito. O coral recepciona da plataforma. Recepcionistas dão boas vindas à plataforma.

2 – Ser Gentil uns aos outros:  Rm 12:10 “Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros.

Muitos vêem à igreja cansados e frustados, com baixa estima e sentimentos de rejeição. Não é trabalho do recepcionista repreender alguém por seu comportamento, mas  será alguém que o ajudará a ter uma maravilhosa experiência  de culto. Os recepcionistas precisam ser gentis, gentis e gentis.

3 – Saudar uns aos outros: Rm 16:16 “Saudai-vos uns aos outros com ósculo santo. Todas as igreja de Cristo vos saúdam.

Há propriedades curativas no toque. Psicólogos tem escrito sobre a importâcia do abraço e do contato como terapias modernas. Paulo instava a praticar o Ósculo Santo – I Co 16:20; II Co 13:12. Hoje, o aperto de mão, abraços, tapinha nas costas são as práticas mais usadas.

C – A Necessidade de Recepcionistas Calorosos:

Uma igreja calorosa e um recepcionista caloroso são tão relacionados, como o púlpito e um bom sermão. Não há calor sem expressão da bondade:

1 – Bondade para com os Convidados que se sentem estranhos no ambiente.

Quando Paulo descreveu o seu naufrágio foi descrever a bondade dos recepcionistas locais: Atos 28:2 “Os bárbaros trataram-nos com singular humanidade, porque, acendendo uma fogueira, acolheram-nos a todos por causa da chuva  que caía e por causa do frio.

Na frieza deste mundo, necessita-se de recepcionistas que acendam as chamas da bondade.

2 – Bondade  para com os idosos que se sentem solitários.

Jonatas fez um pacto de bondade com Davi enquanto andava pelo caminho: I Sam. 20:14-15 “Se eu, então, ainda viver, porventura, não usará para comigo da bondade do SENHOR, para que não morra? Nem tampouco cortarás jamais da minha casa a tua bondade; nem ainda quando o SENHOR desarraigar da terra todos os inimigos de Davi.

Seja gentil com as famílias e especialmente com os idosos.

3 – Bondade para com as crianças que começam a andar e mãe com bebês no colo.

4 – Bondade para com pessoas com problemas especiais e cadeiras de rodas.

5 – Bondade para com os que chegam atrasadas ou com vestuários impróprio.

D – Uma Maneira Melhor de Fazer as Coisas

1 – Sam Walton transformou os hábitos de compras das pessoas comuns ao criar as redes Wal-Mart, nos Estados Unidos. A sua estratégia consistia em 3 pontos:

a – Qualidade a um preço reduzido;

b – Disponibilidade de amplo estacionamento;

c – Recepção amigável.

A regra dos seus vendedores era: “De hoje em diante, cada freguês que se aproximar de mim, não importa o que esteja fazendo, eu irei olhá-lo em seus olhos. Irei sorrir e saudá-lo com um ‘bom dia’ ou ‘boa tarde’, ou ‘o que posso fazer para ajudá-lo?” Em 2001, tornou-se mais rico que Bill Gates e tem mais lojas que a Sears.

2 – Dwight Moody, tinha a fórmula da recepção amigável quando ele fundou a maior escola dominical em Chicago. Ele também tinha uma estratégia em 3 pontos:

a – Atender as crianças de rua e famílias pobres ignoradas pelas demais igrejas;

b – Ensinar as crianças o evangelho através de corais e músicas evangélicas;

c – Praticar uma recepção acolhedora e amigável.

3 -O avivalista do século passado, Dwight Moody, conta que há muitos anos, havia em Chicago um rapaz que freqüentava uma das escolas dominicais. Sua família, porém, mudou-se para outra parte da cidade que distava 5 km da escola mencionada. Depois de haver mudado de residência, para assistir à sua antiga escola, tinha necessidade de passar em frente de outros lugares onde se reuniam outras escolas dominicais.

Um domingo de manhã, uma senhorita estava buscando alguns alunos para sua escola, e encontrando este jovem no caminho, lhe perguntou porque ia tão longe para assistir à Escola Dominical, havendo outras mais perto e tão boas como a sua. O jovem respondeu:

­- Talvez todas sejam boas para as outras pessoas, mas para mim não o são; porque vou onde me amam.

– Então, disse a senhorita, foi o amor que te ganhou.

Acerca disto escreveu Ellen White: “Se nós nos humilhássemos perante Deus e fôssemos bondosos e corteses, compassivos e piedosos haveríamos uma centena de conversos à verdade onde há apenas um agora”. Beneficência Social, p. 86.

E – Como Fazer a Recepção  de uma Maneira Melhor:

1 – Concentre-se nas pessoas em todo o tempo.

a – Mude o foco da conversação para os assuntos relacionados com as pessoas.

b – Olhe as pessoas nos olhos.

c – Cultivar um sorriso.

2 – Aparência Pessoal.

Seja sensível  para com a sua limpeza pessoal e bom gosto. Vista roupas que dizem “Eu me importo com a minha aparência”. Desodorante e creme dental são amigos do recepcionista.

3 – Memorize os nomes.

a – Ouça o nome até aprendê-lo. Muitos não se lembram porque não ouviram atentamente;

b – Relacione o nome a algo ou algum lugar ou a alguém conhecido;

c – Repita o nome pelo menos 3 vezes ainda no processo do encontro com a pessoa;

d – Escreva o nome em uma caderneta.

4 – Aprenda a lidar com transtornos. Há coisas não previstas pelo programa, como alcoólatras que entram na igreja, pessoas mentalmente pertubados e outros que buscam aceitação ou livre expressão. Não deve haver lugar para pânico  entre os recepcionistas, mas ação pronta e rápida misturada com tato cristão.

5 – Quatro qualidades de uma boa equipe de recepcionistas:

a – Inclua representantes de ambos os sexos e várias faixas de idade;

b – Pessoas cuja aparência melhore o testemunho para Cristo e a igreja;

c – Que  tenha as virtudes gêmeas: bondade e simpatia;

d – Pessoas que pratiquem a higiene e o bom gosto no vestuário.

6 – Três mitos a esquecer:

Mito 1: Recepcionistas não são importantes para igrejas menores.

O fato: Recepcionista é para o convidado o que o caixa é para o banco ou o garçon é para o restaurante. Ele é o primeiro contato e a primeira impressão que o convidado tem da igreja.

Mito 2: Qualquer um pode ser um recepcionista.

O fato: Necessita-de habilidades especiais para ser um bom recepcionista, assim como o cantor de um coral ou um professor de um classe. Ele é o vagão que conecta o visitante aos demais membros e ao pastor.

Mito 3: As pessoas não se importam acerca de quem está na recepção.

O fato: Falso. As pessoas esperam ser saudadas pela pessoa que eles esperam que estejam lhes aguardando. Pessoas são criaturas de hábitos que estacionam no mesmo local, assentam-se no mesmo banco e procuram o mesmo recepcionista à porta com sua habitual saudação.

F – Desenvolvendo uma Recepção Eficaz:

1 – Mesa de Informação/Recepção. As pessoas precisam de um lugar designado para conversar com alguém bem informado sobre a vida da igreja, para informá-lo sobre programas e eventos futuros, expressar preocupações, localizar salas ou banheiros, etc…

2 – Boletins e Grupos de Recepcionista: Cada igreja organiza seus recepcionistas para atender suas necessidades. Grandes igrejas têm alguns recepcionistas na linha de frente que saúdam as pessoas enquanto lhes entregam o boletim da igreja. Atrás, outro recepcionista direciona o visitante à mesa da recepção. Ele dedica mais tempo aos visitantes e faz com que se sintam à vontade e procura assentos para eles. Depois do serviço, os mesmos recepcionistas apresentam os visitantes aos membros ou ao pastor, informam sobre os próximos eventos e combinam uma dia da semana em que deverão lembrá-los pelo telefone dos novos programas.

3 – Cartão de informação. Entregues na recepção e que deverão ser preenchidos por visitantes e devolvidos nas salvas de ofertas. Nesses cartões obtém-se os dados sobre o visitante.

4 – A estante de vendas de livros. Uma lojinha de literatura cristã pode acrescentar muito ao aumento do hábito de leitura dos membros e ao crescimento da igreja. A igreja que não lê está perdendo um dos maiores meios de providenciar crescimento pessoal e espiritual.

5 – Ambiente musical. O silêncio é, às vezes, ameaçador aos visitantes. Música orquestrada de bom gosto provê ambiente de reflexão e relaxamento.

6 – Bebedouros. A falta de bebedouros é um problema em diversas igrejas. Ter copos descartáveis e bebedouros para crianças é indispensável à igreja acolhedoras.

7 – Banheiros e Salas Infantis. Berçário, fraldários, banheiros e outras facilidades estão disponíveis em muitas igrejas. É embaraçante ser forçado a perguntar a alguém onde fica o banheiro. Por isso, coloque placas ou sinais indicativos e providencie banheiros limpos, modernos e disponíveis a todos.

8 – Guarda-Chuvas. Tenha guarda-chuvas disponíveis para serem usados para conduzir as pessoas até seus automóveis em tempo chuvosos. Cada recepcionista deverá ser responsável pela custódia de um ou mais guarda-chuvas.

9 – Procedimento de emergência: Deve-se Ter na mesa de recepção importantes números telefônicos disponiveis, como: Médicos, polícia, advogados, bombeiros, etc. As emergências mais comuns são acidentes com crianças, ataques de coração e pessoas que pertubam a paz.

10 – Lápis, canetas, Bíblias, coletâneas de louvor, lições bíblicas, esboços dos sermões, blocos de brindes e convites na mesa da recepção.